domingo, 31 de maio de 2015

pov

And then she - for no apparent reason - decided to recreate something of the past, something that has been long forgotten. What did she want? Why did she keep trying to unbury such things?

And you, why did you listen to her? For God's sake, man! Are you out of your mind?

If you, if only you, could see things the way I do, you'd be surprised and maybe dazed, for what I see is only a stupid man giving attention to a stupid bitch.

It's like seeing someone punching a nail-covered wall again and again, expecting that it'd be different the next time, that he'd not be hurt.

The past is important, even the bad things. That's what makes us stronger.

But there is some things that MUST be kept in the past.

sábado, 30 de maio de 2015

bbaannccoo

Tem uns treco esquisito que acontece na vida da gente, né?

Um dia você está sentado no banquinho na frente da casa do seu vizinho junto com seus amigos, rindo, falando besteiras e planejando montar uma banda, mesmo que ninguém saiba tocar nada; No outro dia você está indo sozinho pra uma festa open bar - e você nem bebe - e seus amigos estão espalhados no mundo, alguns com filhos, alguns trabalhando e alguns longe pra caralho.

Daí você lembra que em uma dessas rodas de conversa no banquinho aparece um sujeito que nos diz que em 10 anos a maioria de nós nem se falaria mais. Porra, isso foi há 10 anos atrás, hoje eu vejo que ele estava certo.

Mesmo que nós conseguíssemos nos encontrar agora, nada seria como antes. As coisas mudaram, a vida nos mudou.

Como será daqui 10 anos? É até difícil de pensar nisso, já que nossa vida pode mudar completamente em questão de minutos.

Citando aqui uma frase do melhor seriado já feito.

"Crescer é algo muito rápido. Um dia você usa fraldas e no outro você vai embora. Mas as memórias da infância permanecem com você. Lembro-me de um lugar, uma cidade, uma casa como várias outras casas, um quintal como vários outros quintais, em uma rua como várias outras ruas. E o fato é que, após todos estes anos, eu ainda olho para trás e penso: 'Foram anos incríveis'." (Kevin Arnold - Anos Incríveis)

 E nem o banco existe mais.