sábado, 24 de dezembro de 2016

har har har

Engraçado, mas cada vez mais eu percebo que é socialmente inaceitável não beber bebidas alcoólicas.

Quando eu falo, até mesmo pra os mais próximos, que não bebo, as pessoas fazem uma cara de incredulidade, do tipo "Como assim você não faz isso que todo mundo faz e finge que gosta por puro comodismo social?" e ficam insistindo pra que eu beba.

Muitos acham que a questão é "saber beber" ou "só beba bebidas mais fracas, antes você só bebia vodka", mas não se trata disso, se trata de uma coisa que eu me desafiei fazer, troquei o prazer momentâneo de uma dose de vodka com gelo pela satisfação de saber que tenho controle sobre minha vida e posso decidir o que quero ou não que faça parte da minha rotina.

Álcool não foi a única coisa que decidi excluir da minha vida, bem como não será a última.

------------

Fiquei triste porque não deixaram eu colocar Racionais pra tocar no Natal aqui em casa, depois reclamaram quando coloquei um dubstep. Sugeri Tonico e Tinoco e acharam que eu tava zoando.

Natal foi bom esse ano.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

chasing

Estou com muita preguiça de escrever aqui. Na verdade eu acho que nem tenho mais muito que escrever, na real não dou mais tanta importância pra essas paradas.

Algumas coisas:

- 80% do que ouço atualmente é rap
- 15% é sertanejo
- 5% se divide entre o resto dos estilos

E isso mudou muito rápido. Na real, muitas coisas mudaram muito rápido, MUITAS mesmo.

Outro ponto é que agora sou um trintão e foda-se, não muda nada, em um dia eu tinha 29 e no outro tenho trinta, what's the big deal?

Estou pensando em escrever uns rap's... Mas só pensando mesmo. Também estou pensando em fazer umas escaladas.

"Ai, que vergonha do Varti..."

Vou indicar uma música aqui:

Mas antes eu lembrei que estou totalmente sem paciência pra algumas coisas, tipo ler textos, assistir filmes ou até mesmo ouvir músicas que as pessoas me indicam, então vou entender (e não me importar) se ninguém seguir minha dica.

https://www.youtube.com/watch?v=_M5StfcM4tA

"Cos I'm just starting to learn
I've always been chasing ghosts"

Tem 3 coisas que eu odeio:
1- Pessoas que não sabem contar
2- Pessoas q nao sabem escerver

sábado, 16 de julho de 2016

lone wolf

Curiosamente, os indivíduos que mais se rodeiam de pessoas - seja em festas, bares, esportes ou outros eventos sociais - costumam ser os mais solitários.

Por outro lado, pessoas sozinhas não são necessariamente solitárias.

Essa diferença entre "sozinho" e "solitário" nunca ficou bem clara pra mim, na verdade. Até entendo que um é mais ligado ao lado físico e o outro ao lado psicológico, mas ainda assim é difícil dissociar os termos. Aparentemente muitas pessoas também pensam assim, já que se te veem sempre sozinho em algum lugar, logo te taxam de solitário.

Forçando um pouco a mente, talvez ser sozinho seja mais uma escolha enquanto ser solitário seja uma consequência.

Quando eu comento com alguém que não pretendo casar ou ter filhos, uma das coisas que mais ouço é: "Mas você vai ficar sozinho pro resto da vida? E quando estiver velho, quem vai cuidar de você?".

Daí eu me questiono se todo mundo só quer ter filhos pra ter alguém pra cuidar dela na velhice. Isso soa meio absurdo para alguém com espírito independente, mas não posso julgá-los.

Ao destrinchar esses pensamentos, invariavelmente me vem a memória o clipe de uma música:
Sentenced - No One There

Vendo esse clipe eu não consigo definir se viver assim é melhor do que viver sem ninguém. Talvez eu pense assim por não conseguir compreender direito o sentimento que faz com que duas pessoas fiquem juntas uma vida toda.

Mas quem entende, não é mesmo?


sábado, 25 de junho de 2016

8000

1,01^365=37.7
0,99^365=0.02

Eu vi uma imagem com essas duas potências (o sinal de "^" significa "elevado a") há algum tempo atrás e fiquei com isso na cabeça. Observando as nuances da minha vida nos últimos meses eu notei que isso realmente faz algum sentido.

Destrinchando pra alguém que não tenha entendido: Esse 1,01 significa você fazer um pouquinho a mais todos dias para mudar algo (por isso é elevado a 365, que seriam os dias do ano), resultando, ao final, uma diferença considerável frente ao que ocorreria se tivesse feito um pouquinho menos (0,99).

E eu sinto isso na pele, comecei com pequenas mudanças e hoje vejo a vida de uma perspectiva completamente diferente do que via, por exemplo, no fim do ano passado. O modo como penso sobre as coisas mudou, sendo uma das maiores mudanças o fato de eu não ficar mais buscando culpados por qualquer coisa de ruim que tenha acontecido comigo (que na maioria das vezes eram minha culpa ou apenas um acaso).

Sim, ainda há um caminho longo pela frente, mas já me sinto privilegiado de ter tido a atitude de dar os primeiros passos.

E que eu jamais caia nas garras do passado. 

Why don't you think about that? 

domingo, 12 de junho de 2016

tearing apart what was never together

Love Will Tear Us Apart - Joy Division

When routine bites hard
And ambitions are low
And resentment rides high
But emotions won't grow
And we're changing our ways
Taking different roads

Then love, love will tear us apart, again
Love, love will tear us apart, again

Why is the bedroom so cold?
You've turned away on your side
Is my timing that flawed?
Our respect runs so dry
Yet there's still this appeal
That we've kept through our lives

But love, love will tear us apart, again
Love, love will tear us apart, again

You cry out in your sleep
All my failings exposed
And there's taste in my mouth
As desperation takes hold
Just that something so good
Just can't function no more

But love, love wil tear us apart, again
Love, love will tear us apart, again
Love, love will tear us apart, again
Love, love will tear us apart, again

------------------------

And again...

domingo, 29 de maio de 2016

rebirth... again?

Ouvindo Rebirth, do Angra, me vieram a cabeça várias lembranças de diversas épocas da minha vida. Ela foi meio que uma trilha sonora desses momentos, de fato é uma música muito forte.

Será que eu tive tantos momentos de "renascimento" assim? Ou será que eram apenas momentos em que eu almejava uma mudança substancial nas coisas?

A resposta eu não sei, mas só sei que - novamente - essa música está descrevendo como tenho me sentido nos últimos tempos.

Time to fly...

sexta-feira, 1 de abril de 2016

no alcohol

Três anos sem beber.

Hoje é dia da mentira, mas isso é verdade. Não foi fácil, confesso, mas é recompensador pelo simples fato de que eu sei que posso me abster de algo que gosto pelo simples motivo do "porque eu quis".

Ainda não decidi se continuo sem beber ou se mudo o foco. Na verdade nem estou pensando sobre isso, atualmente tenho outras prioridades.


domingo, 13 de março de 2016

say to me

Roupas coloridas, sem cor, rasgadas, batidas, com metal, hand-made. Cabelos raspados, pintados, dreads, black power, undercuts, sidecuts. Colares, pulseiras, anéis, brincos, piercings, tatuagens, body modifications. Cílios postiços, unhas falsas, maquiagem, lentes de contato, fitas. Tênis de basquete, de skatista, cano alto, cano baixo, sapato social, sandália, descalço.

No carro tocando uma música que você não gosta pra valer, mas aprendeu a suportar. Você está indo pra uma festa que você não queria ir. Na verdade não gosta muito desse tipo de evento. Você odeia, mas vai tentar se convencer do contrário e, principalmente, convencer os outros.

Você cresceu ouvindo de todo mundo como é "viver de verdade", que deveria aproveitar sua juventude indo a festas, bebendo, se drogando, transando, afinal de contas você é jovem e é isso que os jovens fazem. É só isso que os jovens fazem.

Você vai nessa onda, afinal "-Tudo vai fazer sentido uma hora ou outra...". Passa sua adolescência, passa sua juventude e tal do "sentido" não apareceu ainda.

Você para e pensa "-Deve ser assim mesmo... Ou talvez eu tenha feito algo de errado.".

Fez sim, você viveu a vida que os outros disseram que era o certo e deixou de fazer o que realmente queria. Aliás, você se lembra o que você queria? Você se lembra quem você realmente é?

 Eu ia colocar uma frase do Kevin Arnold aqui, mas é melhor eu ficar longe disso por um tempo.

domingo, 14 de fevereiro de 2016

omrnr

Oi.

Entre o final de 2004 e o meio de 2007 eu entrei para uma "modinha" da época, o tal do "flog", mais especificamente o Flogão. Eu já possuía um blog convencional na época (que se perdeu no tempo), mas o Flogão era algo totalmente diferente: Eu podia postar FOTOS!

E postei várias fotos nesse período. Bem poucas eram fotos minhas, claro, mas era bom poder ilustrar minha idéias com uma imagem.

Ninguém tinha celular com câmera nessa época, então minhas aventuras e bebedeiras com meus amigos eram raramente documentadas em algum lugar que não fosse nossa memória. Mas o flog ainda assim estava lá, sempre que acontecia algo diferente eu postava sobre, com uma imagem indiretamente (ou não) relacionada.

Mas esse tempo se foi, aos poucos as pessoas pararam de utilizar os flogs, afinal era bem mais fácil postar as fotos no Orkut ou Flickr. Assim como tantos outros, meu flogão foi abandonado, mas não 100%, vez ou outra eu olhava ele e me surpreendia por notar que alguém o havia visitado recentemente. 

Era legal olhar aquelas fotos, apesar de eu ter vergonha das bobagens que escrevia na época (apenas um jovem tentando se encaixar socialmente), mas ao mesmo tempo dava uma certa tristeza, especialmente ao olhar as datas, tanto das fotos quanto as datas das últimas atividades dos favoritos. O mais recente era de 2008, se bem me lembro.

Recentemente eu me lembrei do meu flogão, resolvi ir dar uma olhada, mas fiquei estático quando vi a seguinte mensagem:













Pensando que talvez eu tivesse digitado algo errado, digitei todo o endereço novamente e a mesma mensagem foi exibida.

"Deve ser algum engano, vou tentar fazer login"

O site me respondeu que não havia registro com tal nome.

Rapidamente tive a idéia de tentar os flogs que eu lembrava o endereço, flogs de pessoas que usavam naquela época, resultado? Todos apagados. Sim, isso mesmo, NOSSOS FLOGÕES FORAM APAGADOS.

Sabe, aquilo fez parte da minha vida. Você pode achar idiota - "Era só um flog, cara" -, mas pra mim havia um valor de memória atrelado a ele. Não só ao meu, mas a outros também. E eles nem tiveram o bom senso de avisar os usuários que isso aconteceria (ao menos não recebi nenhum email), assim eu ao menos poderia tirar uns screenshots.

Enviei um email ao suporte do site perguntando o que aconteceu, mas ainda não me responderam. Talvez nem respondam.

Por vezes pensamos que nossas memórias estão seguras e eternizadas sendo salvas na internet, na nuvem, no PC... Mas será mesmo? Você guarda suas memórias consigo ou apenas confia em 0's e 1's?

Acho que isso serviu de lição pra mim, tenho uma boa memória de longo prazo, mas a tecnologia me tornou (e a tantos outros) preguiçoso e de certa forma dependente.


Já que estou mudando tanta coisa, acho uma boa hora pra começar a mudar isso também.

ATUALIZANDO

Eles me responderam, segue:

"Essa conta foi deletada por nosso sistema pois estava inativa a muitos anos, não tem como reativar ou recuperar qualquer conteúdo, ela não existe mais.

Atenciosamente,
Equipe Flogão."


 É, já era mesmo.
----------- 
You’ve gotta know that nothing lasts forever...

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

if we run...

Mendum – Elysium

I can’t believe
The night lay waste to all we’d given
But honestly
You’ve gotta know that this ain’t livin
But we could run
From elysium
Let it burn, let it burn
You’ve gotta know that nothing lasts...

Forever

I can’t believe myself
I never thought that this would be our end
But it’s nothing new
And my lovers honesty
But I can push it back push it back down if I have to
If you want me to
Cos we can run
We can run
Cos the stars they fall
All for you
So tell me now
What’s left to lose
If we run
If we run
If we run...

Forever?

--------------------------

É muito bom ter razão.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

ego

Caralho, como tem gente egoísta no mundo.

Aliás, eu escrevi um belo texto sobre o assunto, mas vou guardá-lo só pra mim.

domingo, 10 de janeiro de 2016

hifh

Hell is for Heroes - Night Vision

Under a blanket of fear
Down a bottomless pit
I've been waiting for this night
To open my eyes

Wide awake I see in the dark
See the fences breaking apart
Get together with my old friends

Once again we breathe in the air
Escape to somewhere far from nowhere
Where the sky's been tainted red
Where the sky's been tainted

Up on a bank by a stream
Trading memories for dreams
Fading echoes and pictures
Oh, we burn at the seams

Wide awake I see in the dark
See the fences breaking apart
Get together with my old friends

Once again we breathe in the air
Escape to somewhere far from nowhere
Where the sky's been tainted red
Where the sky's been tainted

And now our wings are painted gold
They'll make idols of us yet
Empty promises they sold
Reach their best before dates soon

I can see it all
I can see it all
I can see it all
I can see it all

-----------------

Há uma relação entre essa música e meu blog.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

#project365

Por motivos de porquê eu quis, resolvi entrar em uma brincadeira chamada Project365 (ou Project366 em anos bissextos) que consiste em postar uma foto por dia durante os 365 (ou 366) dias do ano. Achei interessante, talvez isso me ajude a achar todos os dias ao menos uma coisa boa. No fim do ano imagino ter algo realmente legal, fazendo um mosaico ou algo do tipo.

Pra quem quiser se juntar ao projeto, já te aviso que está atrasado. No entanto, se você não for um perfeccionista chato, pode postar as fotos dos dias anteriores, desde que siga a ordem numérica (ou como você quiser).

Para ver postagens desse projeto, procure no Instagram pelas tags #project365 #project366.

Meu Instagram
Meu Flickr